nimirum II

November 25, 2016 § Leave a comment

orion-nebula

nos dias brancos tudo de mim está despejado
não me leio nos dias brancos,
não me escrevo insisto-me, desentendo-me e fujo-me
nos dias brancos
e perco-me nos estados dos meus desertos desertos
de alguém pelos desertos calados cedo
na branquitude, longe no desassossego,
aqui no vazio perto, indefinido na resposta impossível
de mim a perguntar-me, a ignorar-me de saber-me interna
extrínseca nos dias brancos a procurar-me em tudo,
nos outros em silêncio a procurarem-se em mim

sou deles o silêncio todo do meu silêncio
sou deles os dias brancos dos meus dias brancos,
das minhas perguntas nas perguntas deles
brancas nos dias em que temo não regressar

temo sempre a demora que temem de mim em não voltar

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading nimirum II at Lector.

meta

%d bloggers like this: